Oi! Uma ótima semana pra você 😉

Gratidão está na moda, ou é modinha? Existe alguma diferença entre os dois?

Esse é o assunto abordado; gratidão e a importância de praticá-la no dia a dia.

Nesse episódio, foram capturados 6 insights:

  • “Existe uma diferença entre estar na moda, e ser modinha. Moda é igual a tendência.”
  • “Pra sair do ciclo, você vai precisar fazer algo diferente, e talvez fazer diferente é: Independente do salário, eu vou fazer o meu melhor.”
  • “Sempre contente mas nunca satisfeito.”
  • “A gratidão é o antídoto para o teórico pessimismo de Schopenhauer, no sentido da eterna insatisfação.”
  • “Propósito são motivos, motivos melhores.”
  • “A gratidão não tem que ser de conquistas financeiras, de prêmios não. Muitas vezes são coisas simples.”

  • Suelen Bastos

    Murilo, tem recebido muitos “jab’s” em relação ao que você trouxe neste podcast de hoje. Acho que tem muito a ver como você se enxerga e enxerga as coisas ao seu redor. Não sei se você já viu Kung Fu Panda … (adorooooo animações e as sacadas geniais que muitas vez extraio delas),no primeiro filme o pai do Panda fala pra ele que vai contar o ingrediente secreto da sopa do ingrediente secreto…. e ele diz: “Não existe INGREDIENTE secreto” … E é bem isso … quando você começa a ver que não existe ingrediente secreto e sim o valor que você da as coisas que pra muitos são imperceptíveis. To compartilhando aqui uma das minhas paixões: Pôr do Sol … no sabado pude ver esse sol maravilhoso e isso me fez sentir uma gratidão enorme !!!!! #gratidão #naoexisteingredientesecreto
    https://uploads.disquscdn.com/images/7027f860d6ad266b486458287c8b1624091a6d21dc8ff2e24cd7180af5c87e59.jpg

    • murilogun

      otima lembraça da cenaaa!!

  • Camilla Rodrigues

    “A nossa felicidade depende mais do que temos nas nossas cabeças, do que nos nossos bolsos.“ Arthur Schopenhauer

    • murilogun

      yess

  • Roney Santana

    Murilao (escuto o podcast há tanto tempo que ja me acho íntimo rsrs) nao tenho o habito de comentar, sou mais ouvinte que orador. Mas sempre ouco seu convite para comentar no final de cada podcast, e tinha em mente que um dia faria isso. Acho que esse tema foi o momento ideal.

    Admiro muito seu trabalho e me espanto como alguem tao jovem pode possuir tanto conhecimento e saber desenvolver ideias com tamanha maestria. Se vc fosse velho seria intitulado como grande filosofo contemporaneo, mas jovem nao combina (zoeira rsrs). Cara sou grato por muitas coisas na minha vida, e uma delas é poder possuir um aparelho celular para, dentre inumeras outras possibilidades, ter acesso a uma riqueza tao grande de pensamentos e conhecimentos que alguem como voce distribui sem cobrar nada por isso, incrivel.

    Sou seu fã, ouço todos os audios que voce publica, nem leio o tema e já dou o play, sempre vale a pena. O podcast é uma ferramenta otima, quase sempre nao tenho tempo para ver um filme, devido a duracao do tempo, mas sempre tenho um intervalo em que posso ouvir seus audios, e eles sao muito enriquecedores. Obrigado cara, independente das suas motivações para o que faz, voce é alguem que certamente vem fazendo a diferenca neste mundo, de diversas maneiras que talvez nem voce saiba que esteja fazendo. Sucesso, estou torcendo por voce e te acompanhando sempre.

  • Tamer Americo

    Não gosto de seguir moda mas essa moda eu abracei e desde então sigo diariamente com ela.
    Gratitude (que pra mim é a mistura de gratidão com atitude) Sensacional o #198

  • http://www.projetopotencia.org/ Varlei Xavier Nogueira

    Gratidão é aquela coisa que, muitas vezes, a gente demonstra para os outros, mas que fazem bem para a gente mesmo. É como perdoar, que na minha opinião, é ainda mais difícil que ser grato. Se a gente estiver sempre conectado com ideias de gratidão, naturalmente, a gente vai entregar mais para o mundo e, por conseguinte, receber mais coisas em troca naturalmente. Faz um bem danado. O desafio é estar constantemente conectado.

    Modinha é aquela coisa que todo mundo faz sem sentido. Tendência pode ser seguir um sentido que muitos estão seguindo, alinhado com motivos profundos. O desafio é não perder a conexão com o sentido da tendência, talvez aí vire modinha.

    Insatisfação é aquele negócio que te faz levantar a bunda da cadeira pra fazer algo bem feito ou até mesmo botar a bunda na cadeira pra estudar formas de resolver um problema. O desafio é não deixar a insatisfação virar frustração.

    Estava num processo bem louco agora de manhã, ligado ao meu trabalho com palhaço e ainda não me desliguei completamente deste estado. Não sei como vai ficar este comentário aqui. Talvez eu venha outra hora e pense: “mas que diabo foi isso que eu escrevi?” Que se dane. Fiquei com vontade de escrever assim hoje.

    Gratidão por compartilhar seus pensamentos conosco.

    Beijo na testa (pra mim é sinal de respeito e gratidão)

  • Danilo Lino Bueno

    rapaz, danilo aqui na área.
    escrevi estes dias sobre modelos de realidade (https://medium.com/@danilolinobueno/sobre-modelos-de-realidade-729525b12bd7) e ouvindo depois seu podcast, me abriu ainda mais a mente e de certa forma se complementa ou até pode servir como argumento pelo o que escrevi. não havia feito este relacionamento com a pirâmide de maslow. valeu!

  • Ana Carla Dávila

    Muito bacana vc trazer isso nesse mundo louco da busca pela satisfação financeira. Claro que precisamos da grana, mas a satisfação pessoal é muito mais valiosa! Conquistas pessoais precisam ser celebradas sempre, precisam ser agradecidas e valorizadas. Tenho feito umas aulas que chamo de aulas de qualidade de vida no trabalho, onde o objetivo é trazer prazer ao final de um expediente e isso partiu de uma necessidade pessoal que resolvi partilhar com os meus, só que tê-los comigo faz com que eu consiga realmente realizar. Então a cada aula, cada pessoa que se junta a mim, fico grata.

  • Douglas Barth

    Murilo, falo direito de Melbourne na Austrália onde to fazendo um doutorado de eng. elétrica. Há uns 2 anos comecei a trabalhar com performance e meus propósitos junto com um hard working pesado. O goffi foi um dos meus primeiros “introdutores”, a esse mundo. Agora depois bons livros e muitos mentores consigo navegar melhor nesse mundo. Acho que você e ele fazem um trabalho essencial nessa cultura de hoje, principalmente pra jovens adultos como eu que tem muito combustível pra gastar e querem fazer acontecer. Nunca comentei em nenhum podcast dos que ouço mas tive que vir aqui depois desse. Primeiro que queria demonstrar gratidão pelo seu trabalho que é muito bem feito e ajuda a gente a digerir muitos desses assuntos complexos e úteis. Segundo pq eu tava programando fazia 4 horas já e fiz um break pra ouvi-lo e cai na gargalhada quando escutei “Acho que faltou um pouco de Goffi nesse Schopenhauer” hahahahaha.
    Tinha quebrado aqui minha bolsa vs. horas de trabalho e vi que ganho uma merda. Foi um boost de energia quando vc me lembrou no podcast “foda-se o seu chefe, o dinheiro, faça por você” (encaixando num bom livro que li do Ryan Holiday “Ego is the enemy”.

    Queria te sugerir 1 livro que acho que vc vai gostar muito:
    Scale: The Universal Laws of Growth, Innovation, Sustainability, and the Pace of Life in Organisms, Cities, Economies, and Companies – Geoffrey West.

    Abraço!

  • Rosana Oliveira

    Pooooooorra! Essa sacada de gratidão com a Piramide de Maslow foi foda pra caralho!
    Acho que toda a consciência ligada a mindset já é a moda, a tendencia de subir a Piramide de Maslow. Quem ta nessa pegada de construção e reconstrução do mindset ou esta no 4 ou no 5 nível da pirâmide. Inevitavelmente!
    Eu acredito que estamos chegando em um ponto crítico social, mesmo. Acredito que vai meio que funcionar igual o joelho da curva da Singularity.
    Uma parte da sociedade consciente disso forma uma especie de “massa crítica social” que vai se tornar exponencial nas próximas décadas. Vai ser tipo a locomotiva de um trem, vai colocar uma pressão “por cima” no resto da sociedade. Vamos subir cada vez mais rápido e a galera não vai ter escolha, vai ter que acordar e começar a se ligar nessa escada e começar a subir. Não porque querem, mas porque o padrão vai subir, papai. Isso porque nem to colocando o fator tecnologia na jogada!
    É incrível observar isso ao longo do tempo. Primeiro você é o maluco pensando essas coisas sozinho. Depois você acha uma pessoa aqui e uma ali que é doido igual a você. Depois você que é um grupo de doidão… ai você olha e parece uma panela de pipoca, sabe?

  • Fernanda Camelo

    Excelente reflexão. Ainda não me encontro nesse último estágio da pirâmide mas essa é a meta. Eu sempre fui avessa à muita coisa “da moda” mas agora entendo que sou avessa à “modinha” . Um bom ponto pra eu trabalhar poderia ser o “pre-conceito” com as modinhas. Grande abraço, Murilo. Admiro muito seu trabalho.

GunCast © 2015